MENU

Blog Izyncor

Bem-vindos ao Horrorizando

Quando era criança, sempre gostei de sentir medo. As sombras nas paredes se transformavam em lobos, monstros amorfos, alienígenas. O medo era divertido. Trago em mim a tendência de gostar do que é estranho desde cedo. Conforme o tempo passou, minha atenção foi direcionada aos filmes de horror e aos contos góticos. A diversão se tornou inquietação, mas nem por isso deixou de ser interessante. O horror me acompanha, seja para me divertir através de situações absurdas ou para me fazer refletir por meio de narrativas perturbadoras.

A coluna “Horrorizando” surge com o intuito de fazer você, leitor(a), se horrorizar de formas diversas. Apresentarei histórias e reflexões através de obras do gênero capazes de te fazer sorrir, se assombrar, se inquietar e, acima de tudo, resgatar a imaginação, livre e aflorada durante a infância. Tornamo-nos práticos e racionais à medida que entramos na vida adulta. Nossa capacidade imaginativa é anulada pela vida cotidiana, carente de uma postura lógica e analítica. Por isso o horror, por tantas vezes, cai no desprezo satírico do grande público, é renegado ao mero entretenimento de gosto duvidoso.

Diversas vezes, ouvi comentários do tipo “o horror não é para ser levado a sério” ou “toda obra de horror é meio ridícula”. O gênero, tanto no cinema quanto na literatura, foi – e ainda é – associado a um tipo de produção menor e boba, principalmente no Brasil. Nosso país ainda não compreendeu que, culturalmente, o horror não é apenas um efeito estético de obras ficcionais: ele faz parte de nossa vida cotidiana; talvez por esse motivo a maioria das pessoas prefira ignorá-lo.

“Horrorizando” chega para apresentar às pessoas, aos fãs de horror e àqueles indiferentes ao gênero livros, filmes, séries, artes capazes de mostrar que o horror vai além de vísceras e jump scares. Aproveitarei o espaço concedido nessa coluna também para publicar contos curtos, de minha autoria. Parafraseando Mary Shelley, a mãe do monstro de Frankenstein, se eu não for capaz de inspirar o amor, espalharei o medo.

Embarquem comigo nessa e permaneçam horrorizados(as)!

Uma resposta para “Bem-vindos ao Horrorizando”

  1. “…se eu não for capaz de inspirar o amor, espalharei o medo.”
    Você inspira e espalha os dois sentimentos! Sua escrita é maravilhosa, aumenta o amor ao gênero e causa aquele medo que tanto apreciamos. Ancioso pra ler mais e mais nessa coluna.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *