MENU

Blog Izyncor

Como revisar meu livro antes de enviar ao profissional?

Se tu acha que a tarefa acabou depois de colocar o último ponto final no livro, sinto te informar que tá errado. Agora vem a parte capaz de definir a melhor versão do teu livro: a revisão. E nem tô falando daquela revisão feita pelo profissional, mas da tua própria. É fundamental que, como autor ou autora, tu dê uma boa analisada na história antes de encaminhá-la aos cuidados do revisor ou revisora.

A importância disso pode ser entendida a partir da seguinte frase do célebre Ernest Hemingway, autor norte-americano  de obras como “Por quem os Sinos Tocam” e “O Velho e o Mar”:

A primeira versão de qualquer coisa é uma merda.

Me desculpem o palavreado, mas não dá pra resumir melhor do que isso. A partir do momento em que tu tem uma ideia, coloca ela dentro de uma estrutura narrativa e passa pra um documento digital ou físico, tu finalizou a primeira versão do teu livro. Mas essa é só a etapa um do processo. Agora, vai ser preciso ler e reler aquele texto (depois de comemorar pra caramba a finalização da escrita). Quanto mais detalhada for a análise, maiores as chances de transformar a primeira versão na melhor história possível.

Só que muitos autores e autoras ficam perdidos quando esse momento chega: o que eu devo analisar? Preciso cortar todo o possível? Vai ser necessário acrescentar algo? Como eu sei que fiz uma revisão? Quando eu devo parar de mexer no texto? São muitas dúvidas, e poucas respostas. Por isso, no papo de hoje, vou te explicar o que analisar na primeira versão do teu livro e dar dicas de como revisar teu próprio texto. Bora?

O que analisar na revisão do livro?

Pra não se perder no processo, vamos dividir essa revisão da primeira versão em 3 momentos diferentes, certo? A gente vai chamar eles de: estrutura, desenvolvimento e enredo. Perceba que são aspectos mobilizados na elaboração da narrativa. E não é por acaso: o mais importante ao revisar teu próprio livro é examinar de perto todo o processo de escrita.

No primeiro momento, tu vai ler o documento pensando na estrutura da história. Aqui eu tô falando realmente de verificar o início, o meio e o fim da tua trama. Existem pontas soltas? A ordem cronológica do texto faz sentido? Existe algum momento importante pro enredo que ficou de fora? A organização dos capítulos é lógica? Todas essas perguntas podem te dar clareza sobre a construção da narrativa e trazer coerência à história em si.

O segundo momento vai ser dedicado ao desenvolvimento. Isso inclui não apenas a trama, mas os elementos do enredo, como cenários, personagens e eventos. Esse é o momento de verificar se existem detalhes a serem acrescentados ou retirados pra não confundir o leitor. Sabe aquela tentação de colocar elementos que não ajudam em nada a contar tua história só porque tu acredita no potencial deles? Ou aquela vontade de incluir várias temáticas diferentes no mesmo enredo? Nessa revisão tu precisa analisar friamente e de maneira imparcial esse tipo de coisa.

Por último, mas não menos importante, tu precisa examinar o enredo. Aqui é a hora em que os autores e autoras normalmente se dão conta de detalhes importantes que passam despercebidos ao longo da escrita. Existem momentos nos quais tu fica tão imerso no processo de construção da história que não se dá conta de pontos importantes: aquela reviravolta mal explicada, o personagem que some no meio da narrativa, aquela cena dispensável… Tudo isso deve ser colocado em xeque nesse momento de revisão da primeira versão.

Dicas pra revisar teu próprio livro

Pra colocar em prática todas essas modificações importantes, a gente precisa desenvolver estratégias capazes de facilitar o processo. Depois de conversar com autores e autoras diferentes ao longo da minha trajetória como revisora, pude elencar os métodos mais comuns de revisão, comprovadamente eficazes de acordo com os escritores e escritoras que conheço.

A primeira dica é deixar o texto descansar por algum tempo. O objetivo é se afastar o máximo possível da história, pra conseguir analisar a primeira versão e evitar uma revisão tendenciosa ou aqueles erros bobos que passam despercebidos quando tu tá muito mergulhado no texto.

Além disso, uma técnica muito eficaz na hora de analisar fluência, coerência e ritmo da história é ler em voz alta. Com essa estratégia, tu foge das frases longas demais, dos erros de digitação, das expressões muito rebuscadas pra determinado personagem e dos vícios de linguagem, que normalmente passam batidos numa leitura silenciosa e quase automática.

Uma última dica é se colocar no papel de leitor. O público para o qual tu tá escrevendo vai ser capaz de entender a mensagem da tua história? A narrativa prende o leitor e dá vontade de continuar acompanhando a trama? Essa tática te fornece a habilidade de direcionar com maior precisão o teu texto pro público-alvo e adequá-lo ao gênero da história.

E aí, ficou mais claro o momento exato de enviar o texto pro profissional responsável pela revisão? Confia em mim: organizar a casa depois da mudança pode parecer impossível, mas fica muito mais fácil quando tu tem o planejamento e os ajudantes certos.

Redes sociais da autora: Patrini Ferreira

Página oficial Izyncor: Patrini Ferreira

Palavras-chaves
Revisão de texto, como revisar meu livro, Ao Pé Da Letra, Patrini Ferreira, estrutura do texto, enredo, desenvolvimento do texto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *